Cirurgias que realiza

O DR. ALEXANDRE ARANHA TRIGUEIRO já realizou, nesses últimos 10 anos como urologista, milhares de procedimentos cirúrgicos e possui nível técnico de excelência na execução das principais cirurgias urológicas. São elas:

POSTECTOMIA

– Cirurgia para o tratamento da fimose ou em casos de excesso de pele associada a infecções de repetição.  A cirurgia consiste na retirada do excesso de pele, dura cerca de 45 minutos e é realizada sob anestesia local, com o paciente indo para sua residência logo após o procedimento.

 

VASECTOMIA

– Cirurgia para o homem se tornar incapaz de engravidar sua parceira. Baseia-se na ligadura dos canais que levam os espermatozoides do testículo até o canal da urina, onde se mistura com o sêmen produzido pela próstata. A vasectomia não causa efeitos colaterais, não altera a potência sexual e a quantidade de esperma que sai na ejaculação não diminui. A cirurgia tem duração de 40 minutos e o paciente vai para sua casa após o procedimento.

 

ELETROCAUTERIZAÇÃO DE VERRUGAS

– Uma das opções no tratamento das verrugas penianas causadas pelo HPV. Está indicada nos casos de verrugas visíveis e a vantagem maior da queimagem é o tratamento imediato em apenas uma sessão, melhorando o custo-benefício quando comparado ao tratamento com pomadas.

 

CIRURGIA DE HIDROCELE

– É o acúmulo de líquido em torno do testículo, determinando um aumento do volume do saco escrotal. A punção da hidrocele para aspiração do líquido geralmente cursa com novo acúmulo, não resolvendo o problema. O tratamento deve ser por cirurgia aberta com a retirada do líquido e do tecido inflamado causador da hidrocele.

 

CIRURGIA DE VARICOCELE

– Cirurgia para o tratamento das varizes nos testículos. A varicocele é a principal causa de infertilidade masculina, podendo causar também dor e diminuição do tamanho dos testículos. A cirurgia é rápida, mas o paciente geralmente deve ficar internado no hospital por, no mínimo, 12 horas.

 

ORQUIECTOMIA BILATERAL

– Retirada completa dos dois testículos, que está indicada como tratamento paliativo hormonal para tratamento do câncer avançado da próstata. O objetivo desta cirurgia deve ser bem explicado pelo médico, já que a doença maligna é na próstata. O que os testículos têm a ver com o câncer da próstata? Os tumores de próstata são, em sua maioria, estimulados pelos hormônios masculinos (testosterona) que são produzidos pelos testículos. Ao retirar os testículos, o nível de testosterona vai para níveis mínimos, o que leva a uma regressão do tumor prostático e de suas metástases, além de levar o PSA para níveis próximos de zero. O efeito de regressão do câncer da próstata após a cirurgia é imediato, porém temporário, durando em média 3 anos.

HERNIORRAFIA INGUINAL –

Cirurgia para tratamento da hérnia inguinal, doença bastante frequente que se caracteriza pela dor e abaulamento na região da virilha, principalmente aos esforços físicos. A incisão é na virilha e, dependendo da idade e das características das estruturas da região, pode ser necessária a colocação de uma tela para reduzir o risco de a hérnia “voltar”. O tempo de internação é de 12 horas após a cirurgia.

 

CIRURGIA PARA DOENÇA DE PEYRONIE

– A incisão da cirurgia para correção da curvatura do pênis causada pela doença de Peyronie é a mesma da cirurgia da fimose. Depois de descolar toda a pele do pênis, a curvatura é corrigida dando pontos no lado contrário ao da curvatura ou retirando-se a placa fibrosa que caracteriza a doença. O tempo de permanência hospitalar é de 12 horas e o retorno às atividades sexuais deve ser encorajado somente depois de, no mínimo, 60 dias.

 

IMPLANTE DE PRÓTESE NO PÊNIS

– Com o surgimento do Viagra e outras medicações semelhantes e igualmente eficazes no tratamento da impotência sexual, houve uma redução importante das indicações para colocação de prótese no pênis. As indicações atuais estão restritas a homens com disfunção erétil grave que não respondem ao tratamento medicamentoso. O custo das próteses tem sido bastante acessível e os pacientes submetidos ao implante voltam a ter uma vida sexual satisfatória.

CIRURGIA PARA TRATAMENTO DE CÁLCULOS RENAIS

– As cirurgias para retirada de pedras no aparelho urinário são bastante variadas. O tipo de cirurgia vai depender do tamanho das pedras, da quantidade de pedras e do tamanho delas. As cirurgias podem ser por via aberta, por via endoscópica com entrada do aparelho pelo canal da urina e por via endoscópica com entrada por uma pequena incisão realizada na região lombar do paciente. Quando a via escolhida é a endoscópica, geralmente é necessário quebrar a pedra com laser em pequenos fragmentos que são extraídos com uma pinça específica e todo o procedimento é acompanhado por um monitor de vídeo. A grande vantagem do tratamento endoscópico é o retorno rápido às atividades diárias e ao trabalho.

 

PROSTATECTOMIA ABERTA PARA DOENÇA BENIGNA

– Cirurgia para a retirada da próstata que sofre de aumento benigno realizada pela técnica aberta. Como não é caso de câncer, apenas o “miolo” da próstata é retirado, ficando a “casca”.  A técnica aberta é utilizada em próstatas grandes acima de 60 gramas. Neste caso, o risco de incontinência (perda de urina) ou impotência é mínimo.

 

PROSTATECTOMIA ENDOSCÓPICA

– Cirurgia para a retirada da próstata que sofre de aumento benigno, realizada pela via endoscópica. Como não é caso de câncer, apenas o “miolo” da próstata é retirado, ficando a “casca”.A técnica é utilizada em próstatas com menos de 60 gramas e realizada sem cortes, através de um aparelho colocado no canal da urina do pênis. A próstata é transformada em pequenos pedaços para que possa sair através do aparelho. Neste caso, o risco de incontinência (perda de urina) ou impotência é mínimo.

 

PROSTATECTOMIA RADICAL

– Cirurgia para retirada completa da próstata, sendo retirados tanto o “miolo” quanto a “casca”, além das vesículas seminais e os linfonodos ilíacos-obturatórios. Esta cirurgia está indicada nos casos de câncer localizado da próstata e tem intenção curativa. Como toda a próstata e retirada, existe o risco de 4% de incontinência urinária (vazamento de urina) e o risco de impotência sexual. Ainda é considerado o melhor tratamento para a cura do câncer de próstata, quando comparado à radioterapia.

 

CIRURGIAS ONCOLÓGICAS EM UROLOGIA

– Além da próstata, os tumores malignos (câncer) podem surgir nos outros órgãos que fazem parte do aparelho reprodutivo e urinário masculino.

TUMORES DE RIM

geralmente são descobertos de forma acidental durante um check-up com ultrassonografia do abdome, acometendo pacientes com mais de 50 anos. Em geral são tratados com a retirada completa do rim acometido.

TUMORES DE BEXIGA

aparecem como vegetações na parede interna do órgão, tem como causa principal o fumo e a conduta inicial é a ressecção do tumor por via endoscópica. Os tumores de bexiga têm uma tendência a reaparecerem após essas ressecções e um tratamento mais radical com a retirada completa da bexiga, por comprometer bastante a qualidade de vida, está indicada em casos selecionados.

TUMORES DE TESTÍCULO

surgem em uma faixa etária mais jovem, dos 15 aos 35 anos, e o tratamento é a retirada do órgão através de uma incisão na região inguinal.O testículo retirado pode ser substituído por uma prótese de silicone e um testículo apenas é suficiente para manter a capacidade fértil do paciente e a produção de hormônios.

TUMORES DE PÊNIS

estão associados a fimose de longa duração, bem como pacientes com higiene genital precária e o tratamento é a amputação parcial ou total do pênis, dependendo da gravidade e extensão do tumor.

Perguntas e respostas

Fechar

Sua Pergunta foi enviada!

Preencha o formulário a seguir.

Nome *
E-mail *
Site (include http://)
Título *
Pergunte *

Quando o Doutor responder, sua pergunta APARECERÁ PÚBLICA na página de perguntas e respostas.

* Campo requerido